PARCERIA DE LEQUINHO (CAMPEÃ)

Compositores:
Lequinho, Júnior Fionda
Gabriel Machado, Guilherme Sá
e Paulinho Bandolim
Participação Especial:
Margareth Menezes
Intérprete:
Tinga

Oyá, oyá, oyá eô
Ê Matamba, dona da minha nação
Filha do amanhecer
Carregada no dendê
Sou eu a flecha da evolução
Sou eu Mangueira, flecha da evolução

Levo a cor, meu ilú é o tambor
Que tremeu Salvador, Bahia
Áfricas que recriei
Resistir é lei, arte é rebeldia
Coroada pelos Cucumbis
Do quilombo às embaixadas
Com ganzás e xequerês
Fundei o meu país
Pelo som dos atabaques
Canta meu pais

Traz o padê de Exú
Pra mamãe Oxum
Toca o ijexá
Rua dos afoxés
Voz dos Candomblés
Xirê de Orixá

Deusa do Ilê Aiyê, do Gueto
Meu cabelo black, negão
Coroa de preto
Nao foi em vão a luta de Catendê
Sonho Badauê, revolução Didá
Candace de Olodum
Sou Debalê de Ogum
Filhos de Gandhy, paz de Oxalá
Quando a alegria invade o Pelô
É carnaval, na pele o swing da cor
O meu timbau é força e poder
Por cada mulher de Arerê
Liberta o batuque do canjerê

Eparrey oya, eparrey mainha
Quando e verde encontra o rosa
Toda preta é rainha

O samba foi morar
Onde o rio é mais baiano
O samba foi morar
Onde o rio é mais baiano
Reina a ginga de Iaiá na ladeira
No Ilê de Tia Fé, axé Mangueira

PARCERIA DE THIAGO MEINERS

Compositores:
Thiago Meiners, Ailton Graça
Beto Savanna, Indio de Deus e
Wilson Mineiro
Participação Especial:
Bloco Afro Ojuobá Axé
Intérpretes:
Igor Vianna e Gilsinho

Oyá…
Quero seu vento minha mãe
Pra eu chegar lá na Bahia
Sou a Estação Primeira
Iaiá…
Me ensina essa liberdade
Luz da africanidade
Seus batuques na ladeira
Rainha…
Se vestiu de verde e rosa
Foi pra rua orgulhosa
Com o seu tambor
Mainha…
Se vestiu de verde e rosa
Foi pra rua orgulhosa
Com o seu tambor

Ê baiana, dos seus valores
Nobreza que encanta
A mais linda das flores

São pretos charmes
Cativeiro já não há
Vou dançar o ijexá
Me esquivando da chibata
E perseguido
Preparei o meu padê
A Falange de Exú
Sempre vai me proteger
Nos rituais que estampei
Nos meus terreiros
Os ancestrais
São poesia lá no gueto

Yalotim
Nessa cidade
Todo mundo é D’Oxum
É pulsação de Ilê Aiyê
E Olodum
Samba incorporado de axé (axé)
Eu vou, atrás do trio
Pra esquecer a dor
Pedir a benção
Para o meu senhor
Seguir o cortejo de fé

O meu canto
A levantar poeira, poeira
Na batida do tambor
Eu sou Mangueira
Fio de conta no peito
Timbau e batuquejê
Preta resistência do Ilê

PARCERIA DE GILSON BERNINI

Compositores:
Gilson Bernini
Lacyr D’Mangueira
Cadu e Edinho
Intérprete:
Ito Melodia

Vem ver o dia clarear
Nos ventos de Oyá
O sopro do amor
Sentir o corpo arrepiar
Um sonho libertar
No toque do tambor
Bahia ô, Bahia
Quando o céu relampejou
Fiz a minha travessia
Bahia ô, Bahia
Meu cortejo toca a alma
Faz do grito, Rebeldia

Cum licença Auê Yalodê
Salve a rainha de beleza
Tão singela
Quimboto faz
A esperança renascer
No ventre da mãe
Preta da favela

O canto não se cala
Enfrenta a opressão
Batuqueiro, ritmo que fala
Na pele a magia da emoção
Mutumbá Mainha, Afoxé
Ijexá, Candomblé
Anastácia sua história tem lugar
Didá é a força da mulher

Vou no Muzenza, ou Badauê
Minha Deusa requebra no Ilê Aiyê
Iaiá da ladeira do Curuzu
“Avisa lá” que chegou o Olodum

Axé
Pérolas Negras
Ecoa a igualdade
Axé
Yabás guerreiras da paz
Raiz e ancestralidade

Epahey ventania de lá
Fazendo a gira girar
Na quebradeira
É o som de Salvador
Temperado no Dendê
Nos versos
Da Estação Primeira
No balanço do Pelô
Eu vi o morro descer
É hora do chão
Tremer Mangueira

0 0 votes
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Deixe seu comentáriox